Simples 2018:
Mais caro e mais complicado!


JR&M - Contatos

(11) 2226-0100 Site

<<< * >>>    0058 - 11/2016

Novos dispositivos e tabelas do simples exigem
cuidado na gestão: opção será mais cara!
 

Novo texto e tabelas do Simples passarão a vigorar a partir de 2018.

Por estes novos dispositivos, empresas poderão faturar até R$ 4.800.000,00 por ano. A grande inovação é a forma de cálculo do imposto a recolher, pela qual a empresa apura o DAS (documento de arrecadação do simples) mediante aplicação de uma alíquota e depois deduz um determinado valor.

Apesar de tidas como bem-vindas, as alterações não são empolgantes, uma vez que - novamente, cada empresa precisará fazer uma análise criteriosa de seus números de faturamento, custo de folha e posicionamento geográfico - sim, isto ainda está atrapalhando bastante os micros e pequenos empresários!

Em linhas gerais, é bastante positivo o aumento das faixas de faturamento. Por outro lado, há situações em que a empresa passará a pagar mais impostos do que paga hoje, ainda que já esteja enquadrada no simples.

Ou seja: não há bondade efetiva por parte do Governo Federal e há de se ter cuidado no enquadramento de cada negócio, sob pena de pagar (muito) mais impostos!

Por exemplo: quem está enquadrado no Simples, Tabela V e fatura em torno de R$ 1.800.000,00 por mês, pode ter um acréscimo de R$ 12.420,00 no recolhimento do imposto anual! - Melhorou? Evidentemente que não!

Outras situações estranhas acontecem com empresas comerciais:

Quem fatura R$ 2.700.000,00 anuais vai pagar mais R$ 20.160,00 de imposto (simples) por ano.

Até o momento, não conseguimos detectar bondade por parte do governo e o empresário não pode se iludir com este aumento de limites:

Mais uma vez o simples vem para complicar e enganar boa parte do empresariado!